São Paulo tem crescimento de votos nulos e brancos

Taxa de brancos e nulos dispara em SP nas eleições deste ano

Publicidade

DE SÃO PAULO

Atualizado às 23h24.

Com o segundo turno entre José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) já definido, em São Paulo, chamou a atenção a quantidade de votos brancos, nulos e abstenções. Quase três em cada dez eleitores paulistanos não votaram em candidato nenhum, no índice mais alto desde a introdução da urna eletrônica, em 1996.

Foram 28,9% de brancos, nulos e abstenções para prefeito: 18,5% dos eleitores deixaram de ir às urnas; outros 10,4% dos eleitores até compareceram ao local de votação, mas não escolheram nenhum candidato, votando branco ou nulo –ou 12,8% dos que compareceram. A Justiça Eleitoral desconsidera esses votos na definição dos resultados.

Veja mapa interativo com os resultados em todo o país
Acompanhe em tempo real as eleições
Apoio do PMDB ao PT em São Paulo não é natural, diz Chalita
Ministro diz que rejeição de Serra vai favorecer Haddad em SP

Questionado sobre o milhão e meio de eleitores paulistanos que deixou de comparecer às urnas, o presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo, Alceu Penteado Navarro, afirmou que a cifra “ficou dentro do previsto”. Já sobre o aumento dos votos brancos e nulos, ele afirmou: “Isso demonstra falta de entusiasmo do eleitor, uma frustração pelo desempenho dos candidatos votados anteriormente”.

Editoria de Arte/Editoria de Arte/Folhapress

Em 2000, quando Marta Suplicy (PT) e Paulo Maluf (PP) foram ao segundo turno, 9,8% dos que compareceram votaram branco ou nulo; 14,2% do total se abstiveram. No primeiro turno para prefeito em São Paulo em 2004, entre Serra e Marta, 6,68% dos eleitores que compareceram votaram branco ou nulo e 15% do total deixaram de comparecer. Em 2008, na disputa entre Marta e Kassab, 15,6% não foram às urnas e 7,9% dos que foram não escolheram nenhum candidato.

Para anular o voto, é preciso digitar na urna eletrônica um número de candidato inexistente (como “00”) ou errar o número do candidato escolhido. Hoje, 8,5% dos paulistanos anularam o voto, contra 3,9% em 2008 e 4,4% em 2004. Para vereador, os votos nulos chegaram a 8,9%, contra 5,1% em 2008 e 4,3% em 2004.

Dos mais de 6,1 milhões de votos computados hoje, 5,42% foram brancos –opção oferecida já na urna eletrônica. O número também quase dobrou em relação a 2008, quando 2,81% dos eleitores votaram nulo. Em 2004, o foram 2,29% os eleitores paulistanos que utilizaram a opção.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/1165715-taxa-de-brancos-e-nulos-dispara-em-sp-nas-eleicoes-deste-ano.shtml

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

842 respostas a São Paulo tem crescimento de votos nulos e brancos

Deixe uma resposta

Agenda Autogestionária
outubro 2012
S T Q Q S S D
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031